sábado, 5 de maio de 2012

Sangrar, renascer em vida.


     

 O sangue e seu cessar são à base dos Mistérios Femininos. Sua manifestação e  ausência funcionam como um sinalizador natural dos estágios de transformação pelo qual a mulher irá passar, desde a menarca até a menopausa, passando pelo sangramento provocado pela ruptura do hímen, até o sangue que é naturalmente corre no momento do parto.


O período menstrual é um momento mágico onde a mulher recebe a dádiva da curadora. As mulheres estão mais naturalizadas com sua natureza psíquica durante a menstruação, pois o sangue tende a absorver a energia astral, tornando-as mais aptas a curar nesse período. Isso acontece porque a doença se manifesta no campo energético, antes de se manifestar no físico, e a mulher menstruada pode absorver a energia astral e aterrá-la através de seu próprio sangramento, pois o fluxo menstrual funciona como um elo entre a mulher e a terra.
          A vagina era vista como um portal mágico através do qual a vida surgia de uma misteriosa fonte interna. Na religião matrifocal, a vagina era vista como um portal mágico através do qual a vida surgia de uma misteriosa fonte interna. Era um portal tanto para a regeneração física como para a transformação espiritual. O sangue menstrual era também utilizado para fertilizar as sementes para plantio, passando a essência da vida a elas. Campos eram por vezes borrifados com uma mistura de água e sangue menstrual para estimular o crescimento. As sementes e plantas absorviam um pouco da energia antes que o solo neutralizasse a carga etérea. Xamãs femininos também transferiam cargas mágicas aos campos cultivados através do sangue menstrual, criados para influenciar a mente grupal da comunidade que se alimentaria da colheita. 
 Durante a Idade Média, as bruxas eram constantemente acusadas de enfeitiçar as plantações.
          Outra função do sangue menstrual era a de ungir os mortos. Acreditava-se que isso asseguraria seu renascimento, graças às propriedades vitalizantes do sangue que jorrava do próprio portal da vida. Durante o neolítico e o inicio da Idade do Bronze na Antiga Europa, a região do Egeu testemunhou a criação de tumbas redondas com pequenas aberturas voltadas para o leste, na direção do sol nascente. Essas tumbas representavam o ventre da deusa, e a abertura era sua vagina. Vasos sagrados eram utilizados para coletar o sangue sagrado para ungir os mortos. Eram vasos sagrados de fertilidade, luz e transformação. Os mortos eram ungidos com sangue menstrual e posicionados no interior das tumbas. A luz do sol nascente simbolizava a renovação e a regeneração enquanto penetrava na abertura da tumba (o falo solar penetrando na vagina lunar). Símbolos espirais eram constantemente gravados nas tumbas neolíticas como símbolos da regeneração. Também simbolizavam a transformação xamânica da consciência que empregava cogumelos alucinógenos. Os cogumelos têm fama de afrodisíacos e sua semelhança com a genitália masculina ficava certamente evidente aos primitivos europeus. A rapidez com que os cogumelos crescem e desaparecem também contribuíram para a sua associação com o falo. Assim, podemos facilmente associar as danças extáticas com os ritos funerais da magia do sangue.





O SANGUE E AS FASES DA LUA


           A lua afeta o fluxo da água, regendo as marés. Os fluidos corporais da mulher também são regidos pelas fases da lua: o sangue menstrual, o muco que escorre durante a ovulação, os sucos da copulação, as lágrimas da TPM.
          Alguns índios julgam que a lua é uma mulher que no seu quarto minguante, tem sua “doença”, palavra que usam para a menstruação.
          Quando expostas apenas a luz natural, as mulheres tendem a ovular na lua cheia e a menstruar na lua nova.
          Mulheres que menstruam na lua nova e ovulam na cheia são as que dão à luz as crianças. A menstruação na lua nova deixa a mulher mais introspectiva, calma e recolhida. É um período de limpeza e purificação. É chamado de Ciclo da Lua Branca.
           Mulheres que menstruam na lua cheia e ovulam na lua negra tem o ciclo da mulher sábia ou Ciclo da Lua Vermelha, pois ele está ligado à criatividade. A menstruação na lua cheia deixa a mulher mais animada, feliz e cheia de sexualidade. É o ciclo criativo.
          A luz da lua cheia pode estimular mulheres com problemas de ovulação.
          A lua cheia inicia a ovulação e simboliza os poderes de transformação da energia lunar (e por conseqüência da energia feminina). Por seu aspecto fértil no ciclo de uma mulher, a lua cheia é o período da mãe. Durante essa fase, é melhor formular e visualizar o que quer que seja desejável na vida de um individuo. As imagens mágicas lançam raízes durante essa fase, e o sangue é carregado com quaisquer formas de pensamento que direcionemos a ele. A lua minguante põe em movimento o que foi concebido durante a lua cheia, para que se manifeste. È um período para estabelecer as conexões com o mundo físico que irão auxiliar o fluxo da energia relacionada rumo aos desejos do individuo. A lua nova liberta o sangue carregado do caldeirão mágico do ventre. A energia mágica é então gasta e é tempo para reflexão e introspecção. A lua crescente é um período de potencialização, um período para leitura e estudos, preparando solo fértil do ventre para a semente mágica que será plantada na lua cheia.

TPM
          A TPM é a válvula de escape feminina, pois fomos treinadas para sufocar sentimentos e não reagirmos a nada. A TPM funciona como um alerta: o que você esta segurando?
          - O poder é uma energia forte, e energia quando não é focalizada ou utilizada, tem um efeito imprevisível. A energia vai aparecer em alguma parte. Se não lhe for permitido fluir pelo corpo como energia vital, ela vai aparecer como forma de dor, doença física ou emocional. 
          - Os sintomas aparecem para nos despertar, para que coloquemos nossa atenção na parte do corpo que eles se manifestam. Não podemos ignorar o útero se ele nos faz sentir dor, como não podemos ignorar a menstruação se ela nos provoca um comportamento diferente do resto do mês. Sintomas são a informação superficial de uma manifestação mais profunda. São mensagens do corpo. Para entender estas mensagens, é preciso relaxar enquanto esta sangrando e sintonizar com seu corpo.
          - Dificuldades emocionais também causam cólicas menstruais. O período menstrual exige honestidade e clareza emocional - quem sabe não é o momento de resolver problemas emocionais? A dor menstrual nos coloca em contato com o sentimento de estar ferido. A dor que não se expressa verbalmente pode se expressar através de dor física.
          Acostume-se com seu sangue menstrual. Toque nele cheire-o, brinque com ele... Unte uma vela vermelha, perceba o cheiro que exala quando for esquentando. Passe-o no corpo, veja sua linda cor e textura. 
         



4 comentários:

  1. Menstruo desde os 10 anos e, como minha mãe me ensinou, sempre comparei com o ciclo da lua e sempre menstruei na lua cheia e ovulei na lua negra, em fevereiro desse ano resolvemos engravidar, em abril meu ciclo "desregulou" e menstruei no primeiro dia da lua negra, atrasando mais de duas semanas, até achei que estivesse grávida mas não era, fiz inúmeros exames e nenhum constatou nenhuma anormalidade, em maio eu engravidei. Impressionante isso. Como já havia explicado sobre o ciclo lunar para meu marido, ele foi o primeiro a dizer: seu ciclo mudou pq agora vc quer ser mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que lindo!
      Sou mãe, e acho que isso faz todo sentido.

      Excluir
  2. Onde eu posso encontrar mais informações sobre a menstruação na lua cheia? :D

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Já li e re-li sobre a menstruação nas fases da lua e não entendi uma coisa: Quem menstrua na lua crescente, não é lua branca e nem vermelha, é isso? E é o quê?

    ResponderExcluir