quarta-feira, 29 de maio de 2013

Rituais Ancestrais evolução ou retrocesso?


A Bruxaria assim como a Wicca segue o fluxo da natureza honrando em suas liturgias os movimentos da Terra como sagrados, através de datas ancestrais estabelecidas como sabats ( Festas Solares) A Origem destas datas festivas surgem de antigos ritos celtas, na wicca essa compreensão surge a partir da evolução do calendário druidico, que continha apenas quatro grandes datas, no decorrer dos anos Nichols Ross , um dos adeptos do druidismo após passar anos estudando antigos ritos, ele subdivide o calendário solar em mais quatro partes, porém seu estudo não foi aceito pois sua proposta de alteração para os Druidas era uma quebra de Tradição, devido a esta rigidez ancestral presente no druidismo Ross repassa seu apanhado de estudos a Gerald Gardner , um amigo ocultista, que fundaria futuramente a wicca.

A Roda do Ano é o Primeiro calendário Solar baseado na localização para época de plantio e colheita, dando desta forma uma localização de tempo para os povos indo-europeus.

Hoje é comum que os praticantes da velha arte acabem sendo questionados, de por que continuar a celebrar datas tão antigas, que em outro tempo serviam de localização agrária, se hoje em dia pouco ou quase nada se tem de ligação com uma comunidade rural nos grandes centros? Qual é a verdadeira utilidade destes dias sagrados ancestrais na nova era?

A Palavra pagão deriva do latim paganus e quer dizer homem do campo, as tradições pagãs nutrem um profundo amor e respeito pela Natureza interna e externa.
E seu maior objetivo é religar-se com a Mãe-Terra, pois ainda que a evolução social tenha nos possibilitado uma forma de vida menos exposta aos perigos e as leis de sobrevivência, acabamos derradeiramente afastados da conexão com a natureza, e mesmo com toda a evolução tecnológica que presenciamos hoje, somos totalmente dependentes da Natureza. Não controlamos as Chuvas nem decidimos qual será o tempo do inverno, quando sentimos fome são os frutos da Terra que nos saciam.

O Pensamento pagão alinha-se com a idéia de que somos seres naturais por tanto sofremos as mesmas transformações que acontecem ao nosso redor, pois observando a vida natural externa começamos a compreender mais profundamente os processos da natureza interna, assim como a Terra floresce e definha nossa alma segue seus passos no eterno ciclo de vida-morte-vida, seja na Noite escura da Alma ou no desabrochar da vitalidade.

Desconectados da essência pode-se não observar o lento cair das folhas anunciando a chegada do inverno, mas inevitavelmente se perceberá quando a pele arder com o frio pedindo proteção.

Atualmente celebrar antigas datas solares, está muito mais relacionado com a psique e os movimentos internos do que ao plantio e a colheita. O que se faz da plantação pessoal, e qual é a colheita de seus frutos, são idéias que até hoje vivenciamos independente do que se planta inevitavelmente se colhe. A primeira mensagem que deixo para que se expie estes antigos mistérios é..

Do que você é feito?

Moara Steinke 

Kandake Dublaidd

Nenhum comentário:

Postar um comentário