terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Ansuz, a palavra sagrada.


“Somente quando as palavras vêm do coração, elas são cheias de significado. Somente quando as palavras vêm do coração, elas têm a fragrância das flores frescas; se não for assim, elas serão apenas envelhecidas e murchas, elas serão artificiais - flores plásticas.” (Osho).
Seguindo o Futhark antigo, temos Ansuz, representação da boca de deus.
No princípio era o verbo, o som da criação que gerou ordem à vida após o caos de Thurisaz. 
Ansuz é a energia da palavra, da comunicação, da primeira e mais antiga forma de magia. Runa que abre o reino Elemental, facilita o contato com alfheim, retira o medo da morte e é capaz de trazer os dons da inspiração.
É o pedido para que cedamos atenção a maneira como estamos expressando nosso desejo, palavras são sinalizadores para revelar as intenções que carregamos, ainda que não sejam totalmente capazes de expressar sentimentos, são o caminho para que possamos direcionar a carruagem da consciência.
Ansuz fala de conhecimento, sinais, comunicação,ascensão, porém quando em sombra revela a mentira, a palavra mal dita.
Palavras são reduto da alma que carregam em si espelhamento de desejos, expressam vontades.. reflexo de pensamento; a utilização correta de seu fim liberta entendimento, Ela por si só é agente curador da própria mente entre luz e sombra. O ato da fala é capaz de florescer compreensão a desorganização de ideias e sentimentos.. Podem ser doces e mentirosas, frias e verdadeiras, doces e verdadeiras ou até frias e mentirosas. Mas, são tão somente aspectos de compreensão turva ou esclarecida sobre alguém ou algo. O vício da palavra nos torna incapaz de receber a purificação do silêncio, a sua falta é repreensão, omitir a si mesmo. Palavras constroem sonhos e guerras, unem em laço desfazem contratos. O desafio do poder expresso requer segurança e aceitação de si próprio pois depois de lançada rebate em responsabilidade de revelar o ego. Expressar sentimento é desapego é correr o risco de perder o protetor silêncio, confiando assim ser guiado pela própria natureza. Falar de mais é não ouvir a si , não falar é ouvir somente o próprio desejo.. para falar quem se é preciso muito humildade para orgulhar-se de sua a essência sem pudor de julgamento.

Por Moara Steinke

Nenhum comentário:

Postar um comentário